top of page

Panleucopenia felina

A panleucopenia felina é uma doença infectocontagiosa que acomete felinos domésticos não imunizados e felinosselvagens, principalmente em animais com menos de um ano de idade. A doença é causada pelo parvovírus felino, um vírus muito resistente ao ambiente e transmitido através do contato direto e indireto com animais infectados ou através de secreções. Este vírus possui tropismo por células de replicação rápida, tendo como alvo, portantopreferencialmente intestinos, tecido hematopoiético e cerebelo. A doença tem alta morbidade e afeta, além dos gatos domésticos, guaxinins, tigres, leões, furões, entre outros.

 

 

Etiologia

 

A transmissão se dá por via direta, por contato oral-faríngeo com o vírus, que está presente na maioria das secreções corpóreas, por via indireta através de fômites e por picada de pulga. Além disso, também pode ocorrer transmissão intrauterina, provocando abortos, natimortos, mumificação fetal e hipoplasia cerebelar em filhotes (GREENE & ADDIE 2006, LAMM & REZABEK 2008). As liteiras, caixas de transporte, potes de ração, vasilhas de água e até sapatos ou roupas contaminadas podem ter papel na transmissão do vírus, devido a estabilidade físico-química do agente no ambiente (TRUYEN, 2009).

 

 

Sinais Clínicos

 

Com um período de incubação de 2 a 10 dias, as manifestações clínicas são

• febre alta;

• protrusão de terceira pálpebra;

• depressão;

• anorexia;

• Êmese;

• Diarreia.

Na forma hiperaguda pode ocorrer coma e morte súbita, antes da detecção dos sinais típicos.

No exame físico pode-se perceber:

• Aumento do tempo de preenchimento capilar (TPC);

• Mucosas normocoradas a hipocoradas;

• Desidratação; 

• Sensibilidade abdominal difusa; 

• Turgidez das alças intestinais. 

 

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico pode ser realizado através de PCR, ELISA, hemaglutinação, inibição da hemaglutinação, imunofluorescência direta, isolamento viral, microscopia eletrônica, hibridização in situ, pelos achados patológicos e pela técnica de imuno-histoquímica (IHQ).

Além disso o histórico, os sinais clínicos e o exame físicopodem sugerir a doença. É preciso diferenciar a panleucopenia felina das gastroenterites causadas por outros agentes como a Salmonella, por exemplo (ZORAN, 2006).  

 

 

Tratamento

 

O tratamento é de suporte, para restaurar o balanço hídrico e eletrolítico, propiciar recuperação do epitélio intestinal e prevenir infecções secundárias: Antibioticoterapia, protetores de mucosa gástrica, suplemento vitamínicos e minerais, probióticos, ômega 3 e 6.

Considera-se os antieméticos caso o vômito persista. Pode ser necessária a transfusão sanguínea ou de plasma em gatos que desenvolverem hipoproteinemia, para restaurar a pressão oncótica. A nutrição parenteral é indicada em gatos anoréxicos, com quadros de diarreia ou vômito graves, ou com hipoproteinemia persistente (TRUYEN, 2009).

 

 

Prevenção

 

É recomendado que somente gatos vacinados sejam expostos a ambientes com alta concentração de animais suscetíveis, como abrigos.

Devido à possibilidade de transmissão através de fômites, recomenda-se a restrição do acesso à rua pelo gato.

Ressalta-se a importância da ingestão do colostro para filhotes até aproximadamente a 8ª hora de vida, uma vez que a transferência de IgG através da placenta confere menos de 10% da imunidade maternal do filhote. A vacinação é considerada efetiva para prevenção da doença, e pode conferir imunidade por toda a vida do animal (ZORAN, 2006).

 

 

Referências

 

 

PANLEUCOPENIA VIRAL FELINA: UM RELATO DE CASO FATAL- disponível em:

Editora IME

https://editoraime.com.br › rems › article › view

 

 

USO DE HOMEOPATIA EM UM SURTO DE PANLEUCOPENIA FELINA - RELATO DE CASO- disponível em:

Revista MV&Z

 

 

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – UNB FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA INFECÇÃOPOR PARVOVÍRUS FELINO EM FILHOTE - RELATO DE CASO- disponível em:

BDM UnB

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page