top of page

Obesidade felina

A obesidade felina é o aumento de gordura corpórea. Quando não tratada, pode acarretar em diversas doenças na espécie felina, como por exemplo, diabetes mellitus e lipidose hepática. Este aumento de gordura interfere também nos sistemas, respiratório, cardíaco, locomotor e hepático. As principais causas do aumento de peso são por meio da alimentação não balanceada com valor energético em excesso e a ausência de atividade física.

A literatura relata que dentre os fatores de risco para o desenvolvimento de obesidade apenas 3% está relacionado com fatores diretamente do animal e 97% envolvendohábitos, manejo ambiental e manejo alimentar (O ́connellEM, Williams M, Holden SL, Biourge V, German AJ. Factors).

A obesidade relacionado a fatores do animal, são a predisposições genéticas de raças felinas, idade e a castração, que influencia diretamente no metabolismo do animal. Os 97% referem-se as atividades físicas praticadas, ou não, espaço de convívio, como por exemplo apartamento, casa e o local com enriquecimento ambiental. Esta também, principalmente, relacionada ao manejo alimentar, a quantidade, frequência e tipo de alimentação ofertada ao felino, propiciando a obesidade nos gatos.

 

A obesidade pode ocasionar em doenças secundárias como a diabetes mellitus (DM). É uma doença endócrina crônica em função de uma deficiência de insulina, que pode elevar os níveis glicêmicos. É uma comorbidade que estáassociada com a obesidade, pois gatos acima do peso possuem mais de 3,9 vezes chance de desenvolver diabetes mellitus quando comparados a felinos no escorecorporal ideal. A lipidose hepática (LH) é a enfermidade hepatobiliar mais comum em felinos domésticos, afetando gatos obesos e debilitados. Essa doença caracteriza-se pelo acúmulo excessivo de triglicerídeos no fígado podendo comprometer a funcionalidade do órgão levando a sérias complicações.

 

Diagnóstico

Para melhor diagnóstico, é importante analisar a anamnese declarada pelo tutor, exame físico em que verifica–se os parâmetros do animal, incluindo a avalição clínica do peso e o escore corporal do pet (LAFLAMME, 2006). O peso pode variar de acordo com o porte do animal. A faixa de normalidade para animais pequenos e médios corresponde de três a cinco quilogramas. Após a pesagem, realiza-se a avaliação da condição corporal, os métodos mais utilizados são os sistemas de escore corporal por pontuação, que dividem a condição corpórea em escores de cinco a nove pontos.


Escores de avaliação da condição corporal de felinos. Fonte: adaptado de BJORNVAD CR, et al, 2011; LAFLAMME DP., 1997; WSAVA - Global Nutrition Commitee, 2013.

 

Outro método mais preciso já padronizado para gatos é o de absorciometria de raio-x de dupla energia (DEXA) (Borges et al. 2008; Buelund et al. 2011; JERICÓ et al., 2014). O método DEXA se baseia na atenuação exponencial dos diferentes níveis de energia de raio-xemitidos, possibilitando assim que se diferencie tecido mineral (ossos), de massa magra e tecidos moles. Assim observa-se se o animal se encontra acima do peso.

 

Tratamento

O tratamento consiste em um planejamento nutricional específico para cada paciente, para isso deve-se realizar a troca de dieta para um alimento específico para perda de peso com densidade energética reduzida, baixo teor de gorduras e alto teor de proteínas e fibras, pois outros alimentos como o de manutenção e o ligth não suprem as necessidades nutricionais para uma perda de peso saudável.

 

 

A introdução a nova ração do felino deve ser fornecida de forma gradativa de acordo com as possibilidades do tutor. Recomenda-se dividir a alimentação em porções ao longo do dia e avaliar o comportamento e adaptação do gato. Referindo a quantidade que deve ser calculada de acordo com a necessidade energética de cada paciente através das fórmulas:



A alimentação do gato obeso também ser úmida, pois uma maior quantidade de água em sua composição favorece a saciedade, além de ser uma dieta similar à que o gato teria em vida livre. Além disso, o alimento úmido ajuda na prevenção de doenças do trato urinário inferior dos felinos. Recomenda-se atividades físicas aos gatos obesos, através de atividades com brinquedos que chamem a atenção dos felinos e principalmente enriquecimento ambiental proporcionando interação do animal com o local de vivência.

 

Prevenção

É fundamental, que os tutores busquem orientação nutricional com um médico veterinário, com o intuito de promover uma dieta balanceada específica para a fase de vida do animal e o fornecimento da quantidade correta de alimento para não haver um desequilíbrio energético. Logo, é de grande importância realizar visitas periódicas ao veterinário para controle do peso, vacinações e para a avaliação geral da saúde do animal.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page